terça-feira , setembro 19 2017
Home / Cotidiano / Seplan usa força policial para intimidar proprietário 

Seplan usa força policial para intimidar proprietário 

A Secretaria de Planejamento chegou ao cúmulo de levar força policial para intimidar o proprietário de um imóvel no Calçadão da Praça João Costa.

 

O fato aconteceu na tarde desta terça-feira quando chegou até o secretário, além do fiscal e dois policiais militares. Tudo isso porque o proprietário está efetuando a manutenção do prédio.

embargo obra ed dr acácio (2)

Só que a Fundação Cultural deseja o tombamento. Talvez para acontecer o mesmo que aconteceu com o casarão da Nereu Ramos, que hoje está virado num tapume e ruínas. Ou então como o da Rua Coronel Córdova.

A verdade é que se um proprietário tiver um imóvel antigo, certamente estará fadado a perdê-lo, pois se for “tombado”, será o fim do mesmo, como aconteceu com os dois casos citados. Infelizmente essa é a política do patrimônio histórico no Brasil.

embargo obra ed dr acácio (1)

Sobre Milton Barao

Veja também

Lojas descartam lixo no Calçadão

Não adianta nada gastar 20 milhões na revitalização do Centro de Lages se a população …

10 Comentários

  1. Evandro Toledo

    Pessoa certa no lugar certo!!! Um brutamontes pra trabalhar no seplan e atender a população, deve ser mais um dos semi-analfabetos que são diretores.

  2. Maria Elisa

    O prédio não estava nem está em ruínas, recentemente ainda pintaram o edificio. O proprietário é extremamente caprichoso com seus imóveis, basta olhar para o Edifício Mario Grant do outro lado da rua que está impecável.
    A realidade é que o imóvel apenas está passando por uma destruição do seu estilo Art Deco para uma modernização e consequente retirada da lista de edifícios em Art Deco que embelezam nossa bela Lages.
    Fazendo isso irão enfraquecer e acabar com o excelente projeto que será realizado no centro de lages inclusive no mercado municipal que também é Art Deco.

  3. Névio S. Filho

    A questão do tombamento é categórica e visa preservar algo que é do apreçoma população embutido aí um valor histórico conhecido e catalogado, em algumas cidades como a capital são dasdos incentivos ao proprietário como a redução do IPTU, pode-se reformar ou reforçar a estrutura interna, mas preservando a fachada, sem placas que destoem a fachada. É claro que o proprietário quer ganhar dinheiro com esse imóvel e para ele não importa tanto o valor histórico e memória para a cidade, se tiver que derrubar para fazer um prédio ele vai derrubar, esses conflitos são normais e de ecerta forma os ãnimos se exaltam, como conciliar preservação da memória da cidade com a propriedade privada, criar uma lei incentivando o proprietário a preservar o seu imóvel, redução de impostos, manter só a fachada, mas isso tem que ter um setor técnico para avaliar.

  4. Vanessa

    A Lei de Patrimônio Histórico é muito injusta para com os proprietários! Devemos nos colocar no lugar dos proprietários, se fosse meu..jamais eu deixaria tombar pelo simples fato de embelezar a cidade, e outra, nosso centro é horrível!!!!Se prestarmos atenção é tudo velho e mal cuidado.Parabenizo os proprietários pela iniciativa de renovar…quem gosta de passado é museu!

  5. Fernanda

    A propriedade privada…este é o ponto…não ha tombamento do imóvel, por isso o Proprietário faz o que desejar em seu patrimônio…
    Engraçado é a prefeitura de Lages, por seus setores bem estruturados e com pessoas bem instruidas, desejar fazer algo ilícito que é não deixar o proprietário exercer seus direitos e ainda, a exemplo do Museu Thiago de Castro, o prédio que sedia o Museu é tombado e como ele está…preservado? (Gargalhadas) Não, em péssimo estado e ainda se for a fundo muito de sua estrutura foi totalmente modificada e onde estão os historiadores para apurar isso… e o Museu..era mantido as espensas do proprietário porque o Municipio não repassava verba ou atrasava a ínfima verba que destinava a manutenção do Museu e, agora que o Museu é do Município de Lages o que o mesmo fez para melhora-lo? É so visitar o Museu e ver como está, a estrutra não permite conservação alguma do valoroso patrimônio que o senhor Danilo, pessoalmente, conservou…chove dentro do museuuuuu, muitas vezes não se tem dinheiro para comprar materiais de limpeza…e o que está la dentro do Museu e de valor histórico inestimável para a Historia de Lages e de Santa Catarina, pois uma parte dessa história está lá….Haaa mas temos que preservar o prédio, claro. Não preservam nem o que ja se tem tombado e quer intrometer-se no que não pode.
    Sem falar do casarão da Nereu Ramos ou da Casa que funcionava mercado na Coronel Cordova é o Mercado Público…gente tombar ou preservar so para Município receber verbas! NÃOooooo.

    • bruno ricardo

      Vanessa não interessa se é público ou privado existe uma lei Municipal que obriga a todos os proprietários de imóveis a apresentar projeto para demolições ou reformas para obter autorização para efetuar as obras e que este não apresentou, foi notificado por algumas vezes e não obdeceu portanto a obra estava irregular e os proprietários é que estavam cometendo ato ilícito (estude mais direito). Quanto ao Museu, seja cidadã e denuncie onde estão as modificações que você encontrou e que acha que são irregulares, porém não vale as que ocorreram antes do tombamento. Quanto a verba do Museu (eu conhecia pessoalmente o Seu Danilo) ela começou a mais de uma decada e era repassada a Associação Amigos do Museu, comandada pelos filhos do seu Danilo e Girava em torno de R$ 3200,00 (naquela época) e era mantida por convénio (previsto em lei) que deveria ser renovado anualmente, perante prestação de contas. Antes o material de limpeza do Museu ficava a cargo da Associação, sendo que algumas vezes a prefeitura ajudava expontaneamente, sendo que hoje, depois da compra do Museu Pela Prefeitura, é a cargo da prefeitura e tem sido entregue (se informe menina). Em tempo o telhado da fundação foi trocado para corrigir as infiltrações e entupimento, que fazia com que houvesse alagamento na Fundação e no museu.

    • bruno ricardo

      corrigindo Não é Vanessa, é Fernanda.

      • Fernanda

        Estou informada!
        O proprietário pode iniciar as obras em sua propriedade e apresentar projeto para ser analisado pela órgãos competentes; o que a Prefeitura se desespera é porque quer fazer as coisa que ficam por anos engavetada (tombamento) sem ao menos apresentar nenhuma vantagem aos proprietarios (isso para qualquer tombamento) e se acha no direito de impedir melhorias e questões de segurança na propriedade privada.
        Qto ao Museu, também conheci o senhor Danilo pessoalmente e por vezes o vi desembolsar valores para custear o Museu porque a prefeitura estava a meses atrasada com a verba, isso com a justificativa de que nao tinha caixa.
        Sobre o prédio se voce bem sabe e é tão profundo conhecedor do tombamento, sabe que ele foi totalmente alterado e já estava tombado. E por favor não seja hipócrita de pintar um governo municipal que incentiva a cultura, patrimônio histórico, entre outras coisas porque a nossa História está a olhos nus para quem quiser ver como está ” ridícula “, para não dizer outras coisas…
        Haaa…e em tempo o telhado da fundação foi arrumado…se não sabe, foram anos solicitando a Prefeitura a arrumação do mesmo, enquanto isso, goteiras, inundações etc ocorriam…mas quem liga para um monte de papel e peças velhas se deteriorando….quando der a “Prefa” arruma….kkkk…assim o foi…tomara agora chova menos dentro da Fundação Cultural senhor Bruno Ricardo.
        não cuidam nem do que já e patrimônio, querem intrometer-se na propriedade privada…E porque bem sei o predio em Questão…mais uma vez é Privado e tem meios e tempo para apresentar e legalizar projetos.. e ainda, tantas obras assim e caindo e onde estão os setores e alardes da prefeitura…nao sei e nem você…..

  6. andré

    Força policial! Eu estava lá não vi nada disso, nem esta de prender alguém titulo da matéria fora da realidade.

    O pior cego é aquele que não quer ver
    img-20160823-wa0074.jpg

  7. Julia

    É um povinho ridículo mesmo esse, como dizem em Brusque… Os lageanos são todos oportunistas, se der mole se acham donos do mundo. A cidade está uma calamidade, as ruas repletas de buracos e lixo, o sistema de saúde é um descaso, o rio que corta a cidade imundo de lixo, qualquer chuva se torna enchente, as calçadas do centro e principalmente do calçadão viradas em remendos e um monte de secretários inúteis e arrogantes tomando posse de patrimônio alheio….. são uns ridículos de primeiro mundo mesmo. será que o tal de secretário Jorge (acho que é isso) lembra do fiscal que cobrava propina? será que alguém lembra do tal prefeito preso pelo gaeco metido em propina com a semasa? tanta coisa pendente que ficou em promessa e um bando de sem noção querendo usurpar dos contribuintes o que é seus bens. me admira uma instituição como a uniplac apoiar esse tipo de coisa, não é atoa que nunca mais saiu do lugar e que cada ano que passa perde cada vez mais a credibilidade…. temos um centro horroroso, caindo aos pedaços e um bando de gente folgada que está dentro de seus apartamento e casinhas modernas ficam reivindicando o tombamento do bem alheio…. tinha mais era que colocar aquilo no chão para não ficar como aquela casa da esquina do meu banco tombada, apodrecendo e fechada com aquelas placas horríveis….. MAIS É UM PONTO TURÍSTICO! GERA RENDA PARA CIDADE! QUEM VAI SE DESLOCAR DE OUTRA CIDADE PARA VIR A LAGES FICAR OLHANDO UM EDIFÍCIO CAINDO OS PEDAÇOS? A ÚNICA SECRETÁRIA QUE GERA RENDA É A SEMASA O RESTO FICA MAMANDO NELA….. A CIDADE PRECISA DE UMA REVITALIZAÇÃO E NÃO DE UM MAUSOLÉU. QUE BRIGUEM POR MELHORIA DAS RUAS, DA SAÚDE, PELA GERAÇÃO DE EMPREGOS E BEM ESTAR DO POVO LAGEANO E NÃO PELO BEM PARTICULAR DAS PESSOAS. FALAM TANTO EM ESTÉTICA E APARÊNCIA MAIS NÃO ENXERGAM OS ANIMAIS ABANDONADOS NAS RUAS, AS PESSOAS DORMINDO NAS CALÇADAS EM NOITES GELADAS…. AÍ APARECE UM BANDO DE GENTE APEDREJANDO O DONO DE UM IMÓVEL QUE TEM O DIREITO DE FAZER O QUER COM SEU PATRIMÔNIO. PELO TAMANHO DA MUVUCA DEVE ROLAR ALGUMA COISA PELAS SOMBRAS E TRAMOIAS POLÍTICAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *