Sem alvará há sete anos, Estado deve provar regularização sanitária do Hospital Tereza Ramos. Mais grave ainda é o elefante branco, completamente abandonado no Governo Moisés

Obras paradas

O que era para ser uma solução para os problemas de Saúde na Serra Catarinense com uma nova torre do HTR, com 100 leitos e moderna UTI, hoje não passa de um “elefante branco”, pois desde que Moisés assumiu o governo, a empreiteira abandonou a obra.

Estacionamento particular

Até as passarelas entre os dois prédios, por sobre a rua Jerônimo Coelho foi abandonada e a rua virou estacionamento particular, fechada com tapumes.

Contrato interrompido

Faltando menos de 2% para conclusão da nova torre do HTR, a Secretaria de Estado da Saúde entendeu de não renovar o contrato com o consórcio que estava executando a obra. Várias tentativas de acordo foram feitas, porém o governo Moisés se mostrou irredutível, e o resultado foi a interrupção do contrato, com a consequente demissão dos empregados. Hoje a torre é o retrato da atenção do governador para com Lages.

 

Alvarás Sanitários

O juízo da comarca de Lages intimou o Estado de Santa Catarina para apresentar documentos que comprovem a regularização de alvarás sanitários referentes a todos os setores do Hospital Tereza Ramos, exceto oncologia, nutrição e dietética. As irregularidades foram apuradas pela Vigilância Sanitária Municipal de Lages há sete anos.

30 dias

A decisão da Vara da Fazenda, deferida em 7 de junho, deu prazo de 30 dias, sem a possibilidade de prorrogação, para que o réu se manifeste em relação ao cumprimento da liminar que pede as adequações.

 

Fotos: Taina Borges e Jotta Damasceno

#BlogdoBarão

Compartilhe

3 COMENTÁRIOS

  1. PARTICULAR COMO?????
    É COBRADO ALGUM VALOR???? TEM GUARDA SINALIZANDO QUEM PODE OU NÃO ESTACIONAR….

    SEMPRE BEM INFORMADO NE BARÃOZITO….

    KKKKKKKK…QUE TAL O SENHOR COMEÇAR A VER OUTRAS PLANÍCIES… O CHORO É LIVRE …SERA QUE VAI FICAR MAIS 3 ANOS E MEIO CHORANDO COM AS VIUVAS DO COLOMBO….

    Contrato interrompido

    Faltando menos de 2% para conclusão da nova torre do HTR, a Secretaria de Estado da Saúde entendeu de não renovar o contrato com o consórcio que estava executando a obra. Várias tentativas de acordo foram feitas, porém o governo Moisés se mostrou irredutível, e o resultado foi a interrupção do contrato, com a consequente demissão dos empregados. Hoje a torre é o retrato da atenção do governador para com Lages.

  2. faltou dizer:

    quem começou essa “obra” …foi o senhor colombo…pra que não sei…em vez de reformar o que ja tem foi inventar moda pra onerar os cofres publicos

    ou abrir uma empresa terceirizada e continuar o que sempre soube fazer…..

    Contrato interrompido

    Faltando menos de 2% para conclusão da nova torre do HTR, a Secretaria de Estado da Saúde entendeu de não renovar o contrato com o consórcio que estava executando a obra. Várias tentativas de acordo foram feitas, porém o governo Moisés se mostrou irredutível, e o resultado foi a interrupção do contrato, com a consequente demissão dos empregados. Hoje a torre é o retrato da atenção do governador para com Lages.

  3. Mas essa nova torre não era para já ter sido inaugurada na época que o Colombo foi governador??????
    Pelo menos isso era o que dizia a ex-diretora do Hospital! Acredito que logo o MP dará algumas respostas aos seus questionamentos Barão, sobre a administração anterior.
    O governador Moisés está cobrindo muitas pendências do governo anterior, logo dará um desfecho no ELEFANTE BRANCO do Colombo. Aguarde!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here