Ambev pode diminuir produção em Lages por causa do fim dos incetivos fiscais, que é decisão do governador Moisés. Por conta disso prefeito Ceron tem reunião emergencial na tarde desta terça-feira, com secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli

Os inventivos fiscais foram criados no governo de Raimundo Colombo como forma de atrair e manter empresas em SC. Com isso fortaleceu o parque industrial catarinense, gerou milhares de empregos e colocou o Estado no topo, com os melhores índices, em tudo.

Porém, desde que era candidato e nesses seis meses iniciais, o governo Moisés tem questionado o programa e chegou a ser comentado da extinção pura e simples, nas entrevistas do secretário da Fazenda, Paulo Eli.

Foi preciso a Assembleia Legislativa entrar em cena provocar reuniões com as grandes empresas e convocar o governador, que se negava a receber os empresários, para discutir a manutenção dos incentivos.

A primeira sinalização positiva veio com a prorrogação do programa até agosto, enquanto o Governo do Estado redige uma nova legislação.

Ambev dá sinais de diminuição

Se o governo do Estado mantiver a decisão de acabar com os incentivos, Lages será severamente penalizada. “Hoje a Ambev responde por 34% da arrecadação municipal, e se a empresa sinalizou que poderia simplesmente diminuir a produção daqui e aumentar na fábrica de Ponta Grossa/PR”, declarou o prefeito Ceron durante o programa FALA PREFEITO desta terça-feira, na ImagemTV.

Reunião emergencial

Assim que terminou o programa (10h), o prefeito seguiu direto para a Capital do Estado, para uma reunião com o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, onde irá colocar a sinalização da Ambev e o que representaria para o município.

“Conheço o secretário há mais de 20 anos e sei da sua competência e interesse, e por isso mesmo pedi essa reunião, pois não podemos ver o navio afundar por conta de uma decisão do governador Moisés”, finalizou.

 

Fotos: ImagemtV

#BlogdoBarão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here