A execução das cinco passarelas no perímetro urbano da BR 282 é feita a conta gotas, ou seja, uma a cada dois ou três anos. Enquanto isso aumenta o número de mortes, sendo três fatalidades somente neste ano

Da cinco, apenas e tão somente duas foram executadas, uma no Distrito de Índios e outra no Bairro da Bates, ligado ao Vila Mariza.

A passarela onde tem maior necessidade, pelo fato de dois bairros de grande densidade populacional (Gethal e Santa Maria), sequer saiu do papel, assim como os do Passo Fundo/Frei Rogério e o quinto, que ligará os bairros São Paulo e São Francisco.

DNIT calado

Para chamar atenção do DNIT, a comunidade do Bairro Gethal fechou a rodovia na última segunda-feira (12), mostrando faixas e cartazes pedindo solução e urgência. Mas parece que o protesto foi em vão, já que nenhuma autoridade do órgão se manifestou.

 

Fotos: NovaTV

#BlogdoBarão

1 COMENTÁRIO

  1. Bom dia Milton

    Além da passarela, o não funcionamento das lombadas contribuiu, e muito, para os fatídicos acidentes.

    Ao contrário do que dizem, penso que não se trata da indústria das multa, mas sim do nosso desrespeito com as normas de trânsito, motivo pelo qual deveria ser repensada a questão das retiradas das lombadas eletrônicas.

    Infelizmente, se não machucar no bolso, naquele local, vamos continuar dirigindo com excesso de velocidade.

    abraço

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here