O relatório da CPI da Saúde foi comentado pelo prefeito Ceorn e a secretária Odila na manhã desta segunda-feira (02/09) em coletiva de Imprensa

 “A CPI é muito bem-vinda, pois é um instrumento do Legislativo que aponta falhas que precisam ser corrigidas, como as 137 mortes em 2016, e que diminuíram sensivelmente em 2017 e novamente diminuíram em 2018, destacou o prefeito. São recomendações feitas, pedindo demissão de pessoas, que foram citadas nominalmente, sem nenhum critério, e esse não é meu entendimento, completou.

Desvio de medicamentos

O prefeito pontuou que as “recomendações” dos três itens já haviam sido tomadas pelo Executivo, como sobre o desvio de medicamentos, onde antes da CPI os vereadores Lucas, Jair e Batalha foram até sua residencia para saber se ele tinha conhecimento.

B.O. virou caso de polícia

“15 dias antes a secretária Odila já tinha me informado, relatando inclusive que registrou B.O. na Delegacia de Polícia, onde o Delegado Giovanni disse que a partir daquele momento era um caso de polícia”, disse Ceron. O segundo e terceiro itens já eram objetos de processos administrativos e sindicância, assim como no caso da conduta de um médico.

Mandado de Segurança da leitura

O caso mais curioso ao final da coletiva se referiu a um possivel mandado de segurança para proibir a leitura do relatório final na Câmara. Todos queriam saber quem seria o autor dessa notícia dada nas rádios Clube e Menina.

Brincadeira de mau gosto

O presidente da Câmara, vereador Vone disse que só podia ser uma brincadeira, “pois todas as audiências da CPI foram transmitidas “online” e não havia segredo sobre o relatório, mesmo assim abrimos uma sindicância para apurar se houve vazamento do relatório, dois dias antes da leitura, o que prova ser apenas uma brincadeira de mau gosto”.

 

Fotos e texto: BlogdoBarão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here