Os 92 anos de idade, faleceu a senhora Scylla Baggio, viúva de José Pachoal Baggio, fundador do jornal Correio Lageano. Scylla teve atuação destacada em eventos sociais e beneméritos de Lages.

O velorio está acontecendo no Parque da Saudade e o enterro será hoje (sexta-feira, 04 outubro), às 17 hs no mesmo local.

Sentidas condolências à família, especialmente aos filhos Isabel e Paulo Baggio.

Uma mulher à frente do seu tempo

À frente do seu tempo, Scylla Baggio sempre gostou de trabalhar. Começou como costureira e fazia isso por horas a fio. Durante muitos anos, comandou a Papelaria Pérola, que foi um dos comércios mais tradicionais de Lages. Sempre ao lado do marido José Paschoal Baggio, era uma mulher atuante, gostava de organizar eventos e festas, dentre eles o concurso de Miss Lages, promovido pelo Correio Lageano durante alguns anos e o concurso Miss Santa Catarina.

Na biografia de José Paschoal Baggio, fica clara a participação dela na vida do empresário. Atuante nas reuniões de negócios e nos eventos, Scylla esbanjava simpatia, como se vê pelas fotos publicadas no livro Da Madeira ao Jornalismo, de Jonilda Wagner.

Quando seu Baggio assumiu a diretoria do Clube 14 de Junho, ela não hesitou em participar. Em 1951, quando o Correio Lageano começou a fazer parte de suas vidas, dizia que a compra que o marido havia feito junto aos amigos, não a surpreendeu, pois ele sempre gostou da vida da Comunicação.

De opiniões fortes, a empresária dizia que não tinha como uma mulher não ter uma ocupação ou profissão. Vaidosa, frisava que a mulher moderna não deveria se descuidar da feminilidade e da elegância, pois somente isso a diferenciaria dos homens, porque em capacidade de trabalho e inteligência, a mulher se equipara.

Depoimento dos filhos

Em 2001, José Paschoal Baggio faleceu e dona Scylla ficou à frente da Gráfica Pérola por alguns anos. O filho, Paulo Baggio, muito emocionado, fala que ela fez muito bem seu papel de mãe, esposa e avó. “Minha mãe sempre foi exemplo em tudo que fazia, uma mulher batalhadora que encheu a todos de orgulho.”

A filha Isabel conta que a mãe sempre foi exigente com os filhos e tinha um coração enorme, sempre tinha uma mesa farta esperando pela família. “Ela era uma mulher firme, forte, exigente, corajosa, guerreira e também cobrava isso das outras pessoas.”

Fonte: CL

 

#BlogdoBarão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here