Moradores do Santa Mônica, na Cidade Alta, não sabem mais a quem apelar, tal a situação que se agrava a cada dia. E as razões são muito fortes, pois basta ver a foto feita da fuligem (resíduos), que se acumulam, diariamente

Eles comentam que são três empresas no bairro, o que contribuiu para piorar ainda mais a qualidade do ar. “É tanto que dias atrás eu estava lavando louça em casa com a janela da cozinha aberta e percebi uns pontos pretos em cima da louça, passei o dedo e era carvão”, contou um morador.

Engie é exemplo

Ele cita o exemplo de tratamento feito na Engie, “que solta uma fumaça limpa, enquanto as outras três soltam a fumaça, que vai para a região do Caroba. O cheiro da fumaça de uma delas parece ferro tipo enferrujado, muito forte”, destaca.

“A fumaça tem que passar pela água antes de ser liberada no ar pra manter os resíduos e algumas empresas não fazem isso, logo a água também deve ser tratada. é bem complicado isso, deve ter custo alto também”, complementa.

Fiscalização

Os fiscais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Serviços Públicos estiveram no local e o funcionamento da chaminé esta sendo aviado pelo IMA (antiga Fatma), ou seja, a quem compete fiscalização dessas infrações.

Fase de teste

Recebemos semana passada a denuncia, fomos “in loco” e constatamos que as empresas possuem protocolo junto a IMA e nos informaram que estavam em “fase de teste”, esclareceu diretora de Fiscalização Marines Roque.

 

Fotos: divulgação

#BlogdoBarão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here