PERELHA HOTEIS E TURISMO LTDA – EPP, representada por seu sócio administrador, JUAN BECERRIL ROMERO GIRON requereu sua AUTOFALÊNCIA, narrando as dificuldades financeiras que no momento atravessa, indicando a situação do ativo e passivo, credores e devedores, juntando os documentos necessários ao deferimento do pedido.

O fim de uma era de glamour

A falência do Grande Hotel Lages não é apenas números de uma empresa que encerra as atividades, mas vejo como o fim de uma grande era que Lages viveu, representada pelo CICLO DE OURO DA MADEIRA. Ele foi fundado em 30 de Janeiro de 1958.

Ciclos

E como tudo na vida é cíclico, assim também os hotéis se modernizaram, se automatizaram e passou-se ao gerenciamento por franquias e redes. E como o Hotel Lages não se modernizou, entrou em decadência, ao ponto de hoje chegar no pedido de falência.

Decreto de falência

Ante o exposto, DECRETO FALÊNCIA PERELHA HOTEIS E TURISMO LTDA – EPP, nos termos dos artigos 97, I e 105 da Lei 11.101/05. Nomeio, nos termos do art. 21 da lei de regência, como Administrador Judicial o Dr. Brian Curts Theodoro, advogado militante nesta comarca e com reconhecida experiência profissional na área, que deverá ser intimado para, em 48 horas, prestar o compromisso na forma do art. 33 do mesmo diploma legal. Fixo, nos termos do art. 24, a remuneração do Administrador Judicial no valor correspondente a 5% do passivo ou do valor da venda dos bens da falida. Intime-se a falida, na pessoa de seus representantes legais, para cumprir o disposto nos artigos 104 e 105 da Lei Falimentar, especialmente para, em 48 horas, proceder a apresentação os livros obrigatórios para fins de encerramento e entrega ao Administrador Judicial, bem como apresentação da matrícula do imóvel para fins de averbação da falência no registro de imóveis em que estiver registrado. SUSPENDO todas as ações e execuções contra a falida, por dívidas sujeitas aos seus efeitos, exceto aquelas que houver concurso de litisconsortes passivos prosseguirão somente em relação a estes.

#BlogdoBarão

2 COMENTÁRIOS

  1. O Hotel Lages, também é exemplo para outras cidades que nos anos 60 tinham seus grandes hotéis que funcionavam como pontos de atração e como,disse o Bãrao, glamour. O Colégio Diocesano em que estudei, depois foi vendido, a modernidade acabou com o glamour, hoje as empresas são abertas agora e amanhã fecham com uma velocidade extraordinária e a maioria são feitas para não durarem muito, mas sim lucrarem em pouco tempo. laçtoplasa, Frigoplan, Engrenaco, Buatin, foram simbolos do passado e hoje ficam só na lembrança. Hoteis hoje, a não ser as grandes redes, são simples, justamente para amenizar os custos. Tomara que uma outra rede compre e utilize os prédios.

  2. Uma pena, Lages sempre teve muita dificuldade de enteder a globalização, ai ela vem comendo pelos cantos, o dia chega no centro, um exemplo de sucesso e o SCC (SBT) quando saiu do regionalismo se tornou importante no mercado de comunicação do Estado.

Deixe uma resposta para Névio S. Filho Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here