Três engenheiros catarinenses, sócios da empresa Autom, do município de Santa Cecília, na Serra de Santa Catarina, trabalharam intensamente durante uma semana e desenvolveram um respirador para uso em UTIs. (Por Estela Benetti / NSC Total)

Anvisa

A iniciativa foi apoiada pela Cruz Vermelha do município e pela secretaria de saúde local. O produto foi testado e aprovado por médicos e, agora, eles buscam aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para conseguir autorização de produção.

Lideranças da região procuraram apoio do senador Dário Berger para fazer contatos junto à Anvisa, com o objetivo de obter uma avaliação imediata. São equipamentos que podem ser usados em UTI, e a empresa estima que poderá produzir 50 unidades por dia.

Conforme o senador, esses aparelhos custarão, em média, 95% menos do que os disponíveis hoje no mercado e tiveram eficácia aprovada por especialistas. Cada unidade pode custar R$ 2 mil. Dário Berger espera uma resposta da Anvisa segunda-feira sobre o assunto. Ele está decidido a buscar mais apoio, se necessário, para viabilizar essa análise rapidamente.

— Considerando a extrema necessidade do país em dispor desses equipamentos hospitalares para atender os casos mais graves do Covid-19, a liberação da Anvisa pode representar uma alternativa de relevante importância e, além disso, garantir a manutenção de milhares de vidas — avalia Dário Berger.

Aprovação urgente

O senador alerta também que se a Anvisa não aprovar logo, os engenheiros terão que suspender o projeto e voltar às atividades anteriores da empresa. Mas as perdas para a população brasileira e também do exterior podem ser grandes porque a pandemia avança, há falta de respiradores e também poucos recursos para aquisições.

São Paulo teve uma mostra, nesta quinta-feira (9), da elevada demanda por esses equipamentos. Dezenas de doentes chegaram de comunidades e a maioria necessitou imediatamente de ventilação mecânica.

Há grandes esforços de técnicos brasileiros para colaborar na produção de equipamentos que salvam vidas nesta pandemia, mas para serem usados no país esses produtos precisam ser aprovados pela Anvisa. Os engenheiros que criaram o novo respirador são Fábio Gabriel Pinto Oliveira, Willian Lapinski e Gilmar Demenek.

​Outra iniciativa de SC para produzir respiradores, a das empresas WEG com a Leistung, foi aprovada pela Anvisa e serão produzidos 50 respiradores por dia a partir de maio.

 

 

Fonte: Estela Benetti / NSC Total

#BlogdoBarão

1 COMENTÁRIO

  1. Enquanto o lunático fica contaminado as pessoas, fazendo o contrário do que recomenda a OMS, pessoas buscam salvar vidas.Que Deus ilumine esses anjos que lutam contra essa pandemia. .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here