Douglas Borba indicou empresa dos respiradores e pressionou governo por contratos, diz o ex-secretário Helton Zeferino em novo depoimento no Gaeco. Informações foram trazidas pelo jornalista Raphael Faraco, da NSC TV

Indicação

O secretário da Casa Civil, Douglas Borba, indicou a empresa contratada para a compra dos 200 respiradores por R$ 33 milhões e pressionou o governo por contratos, disse o ex-secretário de Saúde Helton Zeferino em depoimento ao Gaeco nesta terça-feira (5).

Participação

No depoimento, Helton Zeferino disse que Douglas Borba teria participado diretamente das últimas compras envolvendo o Governo de Santa Catarina e teria pressionado o governo em pelo menos quatro oportunidades.

Douglas trouxe a empresa

No caso dos respiradores, Helton afirmou que foi Douglas Borba quem trouxe a empresa do Rio de Janeiro que acabou sendo contratada. O depoimento reforça o que já havia dito a ex-superintendente de gestão em Saúde, Márcia Geremias Pauli, que foi afastada do cargo após as denúncias.

Pressão de Douglas

O ex-secretário disse ainda que Douglas Borba também teria feito pressão para uma compra de equipamentos de proteção individual no valor de R$ 70 milhões, que acabou barrada pela Controladoria-Geral do Estado, e que teria participado diretamente da polêmica contração para o hospital de campanha, que também não prosperou.

Mais pressões

O secretário da Casa Civil teria ainda pressionado a Secretaria da Saúde para um pagamento de R$ 40 milhões a uma empresa de gestão do Samu, num processo que é considerado indevido pela pasta da Saúde, disse ainda Helton Zeferino.

Quatro horas no Gaeco

O depoimento foi prestado pelo ex-secretário da Saúde de forma espontânea e durou cerca de quatro horas. Helton já havia sido ouvido por policiais e promotores no domingo, mas na terça voltou a procurá-los e mudou o discurso que vinha adotando ao implicar diretamente o secretário Douglas Borba.

Autorização

Sobre sua participação no caso dos respiradores, o ex-secretário de Saúde disse que autorizou a compra, tendo como base um parecer jurídico da secretaria, mas afirmou que não ordenou diretamente o pagamento.

Braço direito de Moisés

O secretário Douglas Borba, que é tido como braço direito do governador Carlos Moisés (PSL), disse que só vai se pronunciar depois de analisar as informações.

Novo depoimento

O novo depoimento do ex-secretário Helton Zeferino ocorreu no mesmo dia em que a ex-servidora da Secretaria de Saúde, Márcia Geremias Pauli, afastada após as denúncias sobre a compra dos respiradores, concedeu entrevista a uma emissora de TV alegando que a decisão de fechar a compra teria partido do secretário Douglas Borba.

Douglas nega

Em coletiva de imprensa horas depois, Borba negou “veementemente” qualquer participação na indicação da empresa Veigamed para a compra dos respiradores. Ele também negou a participação do governador do Estado nessa compra dos respiradores e disse que o processo foi efetuado pela Secretaria de Saúde.

 

Fonte: NSCTotal

Foto: reprodução coletiva Governo SC

#BlogdoBarão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here