Depois da estrada asfaltada, os lageanos descobriram a Coxilha Rica e o Viaduto Ferroviário Tatetos, que tem altura de 29 m e vão de 260,15 m e passa sobre a SC 390

O que até um passado recente era apenas um lugar famoso, mas desconhecido até mesmo para a quase totalidade da população lageana, agora está se transformando em um novo roteiro turístico – a Coxilha Rica.

Na verdade, a Coxilha era uma desconhecida para os Lageanos e Catarinenses, pois para as operadoras de turismo, é um dos programas preferidos para pessoas do mundo inteiro, que chegam a vir da Europa para vivenciar a experiência do turismo rural.

Asfalto

Com 27 km de extensão, o asfaltamento da estrada da Coxilha Rica se estende da localidade da Vigia, às margens da BR-116, em Capão Alto, até localidade de São Jorge, em frente a Cooperplan. Como parte da obra, três pontes novas foram construídas, que também entraram no roteiro do Turismo.

Viaduto Tatetos

Mas é o Viaduto Tatetos que chama a atenção dos visitantes. São dezenas ou centenas de pessoas entre adultos e crianças, inclusive com um risco muito grande para a criançada, além dos adultos, que fazem acrobacias para colher o melhor ângulo para suas fotos.

Fotos: Alessandro Wolff

#BlogdoBarão

4 COMENTÁRIOS

  1. Tenho orgulho de ser Lageano, ter passodo minha vida atravessando essa obra que era “escondida”. Uma maravilha aos olhos desse provinciano engenheiro, que não cansa de admirar mesmo com meus quase 50 anos, 30 de atividade na área da construção civil. Magnífica obra. Creio que realizada pelo Batalhão Ferroviário. Por sinal seria uma materia que nos enriqueceria culturalmente, saber período de contrução, o que carregavam os vagões nos áureos tempos do transporte ferroviário, governo, valores, profissionais que atuaram, que projetaram uma pedra fundamental com dados enriquecedores. Certamente logo se estabelecerá uma praça de turismo, paradouro , mirante, enfim, uma oportunidade a ser vislumbrada pelos corajosos empreendedores que começam olhar para a Princesa da Serra como uma linda noiva a ser desposada pelo eco turismo.

  2. Creio que você vai encontrar as respostas que buscas no Museu Ferroviário do Batalhão, inclusive com fotos da época da construção. O Museu fica dentro do Batalhão e é aberto ao público.

  3. Só que se a segurança não abrir o olho e fiscalizar, logo vai acontecer algo mais grave, estão fazendo rachas de moto, andar por ali está se tornando perigoso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here