Em meio à investigação da CPI dos Respiradores, da qual o deputado Sargento Lima é o presidente, a direção estadual do PSL decidiu julgá-lo e puni-lo na noite desta segunda-feira. Ele e os outros três deputados do partido receberam suspensão de 7 meses. É a vingança do governador Carlos Moisés

A principal pena será a perda, por sete meses, dos cargos representativos, ou seja, na Comissão Parlamentar de Inquérito e nas três comissões permanentes da Assembleia Legislativa, sendo a de Finanças a principal que Lima participa.

Também foram julgados, em sessão virtual, os deputados Felipe Estevão, Ana Campagnolo e Jessé Lopes. Todos receberam suspensão de sete meses e Jessé, por outro processo, foi punido com mais cinco.

Sargento Lima ainda não foi notificado da decisão, mas o advogado dele, Marcelo Pontual, adiantou que irá recorrer à executiva nacional do PSL. Para ele, a punição de Lima é uma tentativa de obstrução da justiça, tendo em vista que ocorre em meio ao processo de investigação da compra de 200 respiradores pelo Governo do Estado, com o pagamento antecipado de R$ 33 milhões.

“Não abaixo a cabeça”, diz Sargento

“Governador, não espere jamais que este deputado lhe abaixe a cabeça e nem o Parlamento Catarinense. Não fui eleito para lhe servir e cumprir suas vontades. Fui eleito para trabalhar em prol dos catarinenses e é isso que vai pautar meus trabalhos na CPI dos Respiradores e em todas as minhas ações parlamentares”, disse o deputado em nota.

ABSURDO!É impossível jogar limpo em uma mesa de trapaceiros.Nesse momento de crise na saúde e na economia, a única preocupação do PSL/SC é afastar Deputados de suas funções.

Posted by Deputado Sargento Lima on Monday, May 18, 2020

 

Fonte: Blog Prisco Paraíso

#BlogdoBarão

1 COMENTÁRIO

  1. Isso sim é que é modo de criar inimigo em casa. O sujeito já anda com as pernas bambas na ALESC e agora apronta una dessas?! Logo pode pintar número suficiente para um “impeachmentzinho” básico…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here