O ciclone bomba de terça-feira atingiu praticamente todo o Estado e Lages foi a terceira cidade mais prejudicada, pelos números da Celesc. Mas além do infortúnio, os moradores passaram a ter problemas também no comércio de material de construção. A denúncia é do comunicador Jones Paulo

As famílias atingidas precisam de socorro urgente. A mobilização acontece, e mal conseguem cobrir com lonas plásticas doadas pelo município, para depois providenciarem a compra do material e refazerem os telhados das casas. Isso, só numa parte dos prejuízos inesperados.

https://www.facebook.com/watch/live/?v=715514065890610&ref=watch_permalink

E o que acontece?

Posted by imagemtv on Thursday, July 2, 2020

Acontece que, nos locais que vendem as telhas de fibrocimento (eternit), se aproveitam da desgraça alheia e superfaturam os preços. Uma vergonha a ganância de quem faz isso.

Abuso no preço do telhão

O radialista Jones Paulo, que também teve a casa destelhada com o vento, em uma live no Facebook, na manhã desta quinta-feira (02), e que chamou de “live da indignação”, fez um desabafo e uma denúncia. Em locais que vendiam a unidade da telha ao preço de R$ 26 na segunda-feira, 29, hoje cobram até R$ 49.

Cadê o Procon?

Uma ação enérgica da Defesa do Consumidor (Procom) precisa ser feita. Não se pode admitir. Muitas pessoas afetadas, sequer podem comprar a máscara para se protegerem do coronavírus, serem exploradas numa hora em que precisam de materiais de construção para recompor suas casas atingidas pela fúria do vento da última terça-feira (30 de junho).

Fonte: Blog Paulo Chagas

Imagens: residência Jones Paulo/localidade Pinheiros Ralos (divisa Lages/Cerrito)

#BlogdoBarão

1 COMENTÁRIO

  1. Concordo que o PROCON averigue os preços abusivos, e as lojas de materiais de construção que aumentaram os valores no episódio do vendaval.
    Mas o Sr. Jones Paulo, antes de falar bobagem sem conhecimento algum da causa, não merece confiança nenhuma, pois não sabe nada sobre o que é telha de cimento amianto, sequer tem conhecimento sobre comprimento, espessura e largura.
    Antes de jogar a pedra, procure saber o que está falando.
    Meu repúdio total a este jornalista, onde ao invés de fazer um trabalho sério, para ajudar a quem precisa em um momento difícil, só faz confusão por falta de conhecimento.
    Pessoalmente, não merece confiança no que fala.
    Falar nas redes sociais é fácil, o difícil é provar documentalmente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here