Câmara reverteu decisão do Senado e manteve veto de Bolsonaro a reajuste de servidores. Dos 16 deputados catarinense, apenas 2 votos de Oposição: Carmen e Uczai pela manutenção do veto. Foi a união da esquerda catarinense, questionam eleitores?

A Câmara dos Deputados decidiu manter, por 316 votos a 165, o veto do presidente da República, Jair Bolsonaro, que congelou aumento nos salários do funcionalismo federal, estadual e municipal até o fim de 2021.

Na quarta-feira (19), o Senado Federal havia derrubado o veto presidencial, o que foi considerado uma derrota do governo federal no Parlamento. Pelos cálculos do Executivo, o impacto negativo seria de cerca de R$ 130 bilhões nas contas públicas.

Carmen e Uczai

Esquerda de SC vota unida contra Bolsonaro. Carmen e Pedro Uczai. Na bancada parlamentar catarinense, somente dois votos pela derrubada do veto, o de Pedro Uczai (PT) e de Carmen Zanotto (Cidadania).

Uma bomba, diz Caroline de Toni

“Sem esse veto, seriam R$ 120 bilhões de prejuízo para bancar reajustes ao funcionalismo em plena pandemia e isso tornaria impossível governar o Brasil, como disse o próprio presidente Jair Messias Bolsonaro. Conseguimos, na Câmara, desarmar essa bomba que o Senado deixou”, destacou a deputada federal Caroline de Toni.

Voto coerente, diz Carmen

Em Nota, sua assessoria disse: “A deputada Carmen votou coerente com o que tem defendido. Sempre a favor dos profissionais da linha de frente no enfrentamento do Coronavírus. Porque os possíveis aumentos seriam concedidos para categorias de servidores públicos que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus, como os das áreas de saúde, segurança pública, limpeza urbana e serviços funerários”.

 

Fonte: Conexão Politica, Agência Brasil, assessorias deputadas Caroline de Toni e Carmen Zanotto
#BlogdoBarão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here