O Plenário da Alesc será o palco onde cinco deputados e cinco desembargadores vão decidir se o governador Carlos Moisés volta ao cargo ou se será afastado definitivamente. A sessão desta sexta-feira é histórica e inédita em Santa Catarina, e o impeachment necessita de maioria absoluta, ou seja, 7 dos 10 votos

Na primeira fase, em outubro, o Tribunal Especial decidiu pelo afastamento provisório de Moisés por entender que havia fortes indícios de crime de responsabilidade no aumento salarial dado aos procuradores do Estado. Na ocasião, o deputado Sargento Lima votou pelo afastamento de Moisés e pela absolvição da vice-governadora Daniela Reinehr.

Em outubro, o afastamento dependia de maioria simples, isto é, seis votos. Agora não há possibilidade do presidente da sessão, desembargador Ricardo Roesler, precisar desempatar. Antes, eles votaram se havia indícios suficientes para o afastamento provisório, enquanto a análise dos fatos era aprofundada. Nesta sexta-feira, o grupo julgará se ocorreu, ou não, crime de responsabilidade.

Compõem o Tribunal Especial os deputados:

* Sargento Lima

* Kennedy Nunes

* Laércio Schuster

* Luiz Fernando Vampiro

* Maurício Eskudlark

E os desembargadores:

* Ricardo Roesler

* Claudia Lambert

* Luiz Felipe Schuch

* Rubens Schulz

*Sérgio Rizelo

* Carlos Alberto Civinski

 

 

Fonte: Gabinete deputadoSargentoLima

#BlogdoBarão

2 COMENTÁRIOS

  1. Certo que o Governador Moisés vai voltar, até porque foi eleito para um mandato de 4 anos! Além do mais o Presidente da Assembleia já acertou a participação do PSD no governo! Como não deu a ida de Júlio Garcia para o governo, sobrou essa alternativa! Quem viver, verá!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here