Já não bastava a pandemia mundial do coronavírus, e a população lageana ainda tem de aturar depredação, furtos e selvageria na UPA de Lages, como espalhar fezes nas paredes (educação se traz de casa)

Furto e vandalismo

Entre as situações flagradas no local estão o furto de assentos sanitários e de frascos de álcool em gel e sabonetes, fezes no chão do banheiro, além de objetos como pedras e absorventes que estavam obstruindo a tubulação

17 assentos

Somente neste mês de novembro, ao menos dez assentos sanitários precisaram ser repostos nos banheiros, após a constatação de que esses objetos foram furtados do local. Outra situação flagrada foi o sumiço de refis dos porta-sabonetes e álcool em gel, sendo que algumas embalagens, ainda cheias, foram encontradas dentro das lixeiras.

Retrato da educação

A equipe de higienização se deparou nos últimos dias com uma cena deplorável: fezes espalhadas no chão do banheiro. Em uma outra situação foi preciso acionar uma empresa especializada para desentupir os vasos sanitários.

83 mil pessoas

Para dar uma ideia do fluxo de pessoas que passam no local, entre 1º de janeiro deste ano até segunda-feira (23 de novembro), foram registrados 83.399 atendimentos pediátricos, adultos e odontológicos na UPA 24 Horas.

Educação se traz de berço

“Esse tipo de atitude de uma minoria mal-intencionada, prejudica o atendimento à população em geral, e causa prejuízo ao município, pois é o dinheiro público que foi usado para repor esses itens que foram furtados ou depredados” destaca o secretário da Saúde, Claiton Camargo de Souza.

Fonte: Saúde Lages

#BlogdoBarão

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here