Quem passou na tarde de sábado, 16 de janeiro, na Rua Frei Gabriel (defronte a antiga Celesc e ao lado da Catedral), pode testemunhar a cena de um crime bárbaro, a motoserra abatendo duas cerejeiras japonesas, árvores ornamentais plantadas em 2002

Afinal, o proprietário do imóvel se achou no direito de cortar duas cerejeiras japonesas, espécies nobres para urbanização de cidades, e que foram plantadas em 2002, ao longo de toda a extensão da Frei Gabriel.

Crime ambiental

É crime ambiental sim, previsto na legislação brasileira e no Código Ambiental de SC, e que é extremamente severa com relação a essa poda de árvores, ainda mais sem a devida autorização da Secretaria de Meio Ambiente.

Motosserra

Com que direito o proprietário se acha ao direito de pegar uma motoserra e sair por aí, abatendo as árvores da cidade, como se fosse erva daninha? Ele não poderia sequer fazer o desbaste, mas no entanto se deu ao direito do corte.

Cadeia

Só espero que os orgãos tomem a devida providencia e que o autor seja devidamente penalizado, com cadeia, já que a pena pecuniária é irrisória, pois uma cerejeira japonesa com 2 anos custa em torno de R$ 990, e uma de quatro anos está custando R$ 3 Mil nas floriculturas.

Espetáculo

Agora imaginem essas, que foram plantadas em 2002, portanto com quase 20 anos. Isso sem falar no espetáculo da floração, cujas fotos tem se espalhado pelo mundo, tal o espetáculo que elas proporcionam.

Fotos: divulgação

#BlogdoBarão

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pela matéria Barão!
    Passei ontem lá e fiquei triste também.
    Vamos pressionar as autoridades responsáveis e não sairemos
    daqui enquanto não for aplicada uma multa bem alta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here