A que ponto que se chega pela falta de planejamento? Primeiro foi a construção de um hospital regional em Curitibanos, só porque o secretário de estado da Saúde era daquela cidade (Helio dos Anjos Ortiz).

Pois recentemente, e novamente pelo lobby político do então deputado Onofre Santo Agostini e a então ministra Ideli Salvati, foi implantado um Campi da UFSC naquela cidade.

Nada contra as duas situações, não fosse o fato do hospital estar praticamente atendendo parcialmente, enquanto o Campi vive seus dias de revolta da comunidade acadêmica.

Uma reclamação é com o curso de Medicina Veterinária, onde alunos estão abandonando e vindo para Lages, no CAV e Unifacvest, que estão entre os melhores do país.

Outro fato ainda mais lamentável é o segundo curso de Medicina, que Lages pleiteava, tanto na Udesc, quanto na Unifacvest, mas que por “forças ocultas”, também foi implantado na UFSC de Curitibanos.

O resultado é uma maciça campanha para se achar médicos professores, porém sem resultado, já que esses profissionais preferem atuar em cidades maiores, onde existam todas as condições, como laboratórios especializados, etc, etc, etc.

Nem por todo dinheiro do mundo os médicos querem ir para o interior…

 

#BM3ComunicaçãoCriativa

Compartilhar a matéria

3 COMENTÁRIOS

  1. A Chamada pública para professores do Curso de medicina na UFSC/Curitibanos é pública, porque tem quer ser PÚBLICA e com ampla divulgação, porque se trata de uma universidade pública, uma conquista do bravo povo de Curitibanos, através da sua competente, eficiente e respaldado representação política, não é obra de uma só pessoa! A comunidade toda abraçou a causa e suas lideranças, fortalecidas, corresponderam. Não temos culpa de outras cidades, ainda que maiores,não conseguirem uma coesão de tal envergadura;”todos remando numa mesma direção” sem que se queira cada um “ser o pai da criança” invisbilizando as conquistas na busca de “paternidade”baseada nas vaidades pessoais. Um povo unido na luta para conquistar seus objetivos de crescimento e desenvolvimento humano, econômico, cultural e científico deveria ser objeto de orgulho do sentimento que que nos une como serranos e catarinenses que somos todos.
    A matéria desrespeita o povo de Curitibanos que sempre teve por seus vizinhos respeito admiração e usufruto conjunto de suas conquistas e valores com os quais compartilha e contribui com espírito de COMUNIDADE REGIONAL!
    Não aceitaremos, sem reagir à altura,aos que queiram menosprezar e desdenhar nossas conquistas legítimas, subordinando-nos como se fôssemos um mero distrito. Somos uma cidade pujante em franco crescimento para fazer cada vez maior e mais forte a grande região serrana! Bem vindos a grande curitibanos, alunos professores, catarinenses e brasileiros!

  2. Não possuo um bairrismo meio decrépito como o Rubens, mas não uso um romantismo ainda fugaz para descrever todas as conquistas empreendidas pelos serranos e nessa saio em defesa do Barão. Hospital Regional, UFSC, brigas por rodovias importante e outras ações que julgamos abarcadas pelo povo e a união de sentimentos locais, muitas vezes não passam de um marketing romanceado, tudo gira e não é de agora, no fator político e no que cada região pode brigar e conseguir, durante décadas brigamos politicamente na medição de forças, que hora podem estarem juntas ou afastadas. Primeiramente este campus da UFSC esteve mapeado para Lages, não quisemos e pedimos um IFSC, talvez por desconhecer o fator de atração que um campus federal poderia nos trazer e indiscutivelmente pecamos e hoje nos arrependemos, o Hospital Regional Hélio Ortiz, foi uma conquista política da região e é claro que pela importância de Lages pecamos por ter políticos tão fracos que não trazem nada para aqui, só cultivam um discurso demagógico, apostando mais na visibilidade do que eficiência, se Curitibanos alcançou politicamente projetos mais pujantes que Lages, foi graças a sua mobilização política. Barão tem razão em colocar que os profissionais, hoje procuram centros maiores para se instalarem, devido a estes cursos, Medicina e outros que são procurados pela elites e buscam status social profissional do que um sacerdócio do passado, ninguém está afim de servir as comunidades, mas ganhar dinheiro facilmente, tivemos os exemplos dos médicos venezuelanos e cubanos e não aprendemos.

  3. Essa matéria é mero discurso de um lageano bairrista com grande remorso de que nao reconhece que infelizmente Lages perdeu o seu brilho, depois de ter até um governador do Estado lageano e nao souberam aproveitar, não aconteceu muita coisa por lá ate então Enquanto isso Curitibanos se projeta para o futuro, é um dos municípios com administração mais transparente do país, andando na contramão da crise, com um dos melhores sistemas de educação municipal da nação, com um hospital regional modelo em Neonatal (embora tem passado dificuldades por falta de repasse doe atado), a cada ano cresce positivamente a diferença de contratações e demissões com a economia diversificada e crescente como carro forte a prestação de serviço que hoje é o setor de maior arrecadação para os cofres municipais. Possui toda estrutura de uma cidade “grande” como Lages possui. Eu teria vergonha de ser um lageano e lendo essas matérias corrosivas neste site. O Rubens falou tudo acima e eu só não consegui ver tanta lorota e ficar quieto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here